segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Censurado


O amor devia ser objecto de censura. Devia ir à inspecção e levar uns cortes.
Poupava-se a alma.
Poupava-se o amor.
Facilitava a vida dos sensíveis e aumentava a paciência dos práticos.
Assim, teríamos o amor indesejavelmente desejado, o amor eterno. O amor aprovado!

Elodie.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Estou de luto.
Deram-me a sentir o pior sentimento de todos - o de perda, o de mágoa!
Acreditaste no teu próprio nariz. Deixaste que essa tua futilidade toda estragasse o que ainda tinhas de melhor na tua vida. Nega. Podes negar. Mas, um dia a vida terá uma história para te contar - "a verdade vem sempre ao cima" e é (sempre) para nos aterrorizar. Aí, estarei na outra margem do rio, bem longe de ti.
Consciente e sem esperanças, vais sentir o teu próprio fim, tal como eu estou a sentir.
Até nunca mais, se tu quiseres.

Elo

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Efemeridade


Tudo o que sinto hoje, amanhã parecerá leve. Porque a direcção do vento muda e, sem querer, eu também. Torno a (minha) ingenuidade, naquilo que tu és. Naquilo que nem sei como se chama.
Mas, só dura um dia. Como vês, não dura muito tempo. Sabes porquê? Porque por mais teorias, na prática somos sempre os mesmos - nós próprios.
Mesmo assim, continuo a desejar ter a capacidade de desligar-me no momento certo, de modo a não ficar em pedacinhos. Tais pedacinhos, que me tiram o sono como hoje. Gostava mesmo que certas atitudes (tuas) não me afectassem tanto como me afectam. Mas, tudo é efémero e o estado "off", certamente, não iria durar muito tempo (como nós).

Elo

terça-feira, 12 de julho de 2011

Continuas aqui, comigo


Tenho a sensação que algo muito meu, algo que levei tempo a aprender a cuidar, algo que aos poucos tornou-se o meu sorriso de todas as manhãs vai-me ser roubado como um arrancar de coração em segundos!
Se na próxima estação não estiveres por aqui, nós continuaremos juntos noutro sitio e iremos continuar a ver a lua todas as noites.
Estou-me a lembrar do início, das saídas ao jardim e ao café, das nossas escapatórias, das noites, dos intervalos, das chamadas, das mensagens, das promessas, dos gestos e até do (possível) fim.
Mas mesmo assim quero acreditar que não passa tudo de um pesadelo e que isto não passa apenas de uma brincadeira de (muito) mau gosto.

ps. Amo-te! Prometi ficar contigo e vou cumprir meu amor.

Elo.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

tenho saudades e nem sei ao certo de quê.

Elo.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

(Meu) JPP


Preciso urgentemente de um concerto deste GRANDE homem!

Elo.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Exame Nacional


A sensação de sair do exame a pensar que tem tudo certo é óptima, o problema é quando se depara com os critérios de avaliação do GAVE. Mas dizem que a segunda fase corre sempre melhor, menos mal.

Elo.