domingo, 12 de julho de 2009

Natureza

Numa tarde quente, fui até à piscina. Deitei-me em cima da toalha que estava estendida na relva.
Reparo numa simples lagarta que por ali andava, não lhe dei importância e fui até à água para refrescar-me. Quando regresso vejo uma encantadora borboleta pousar perto de mim, onde antes se encontrava a simples lagarta. A borboleta chamou-me tanto à atenção que transmitiu-me a sensação de voar, tinha ainda cores vivas que faziam os raios solares reflectirem as suas cores.
Com tanto suspiro de admiração e beleza, reparo no pormenor que a Natureza tem. O poder da Natureza é tão incrível, tão mágico! Para além disso reparo na crueldade da humanidade sobre a Natureza. Os Humanos só dão valor ao que é belo através das aparências em vez de observar tudo o que os rodeia ao pormenor, com toda a sua atenção e dedicação.
Por fim imagino-me numa borboleta. Voava por estes campos até eprder o fôlego e desejava ter todas as cores do arco-íris para aqueles que a vida parece-lhes escura e desejava ter as cores mais carregadas para aqueles egoístas, insensíveis, cruéis. Talvez assim aprendessem a agir correctamente.
E tu? Gostavas de ter todo o poder da Natureza oferece? Que elemento serias? Como serias? Porquê?

Elo.

4 comentários:

  1. Não sejas tão "destruidora" :$

    ResponderExcluir
  2. "Há olhares cativantes sim, mas outros que mais valiam nem sequer terem existido."

    Ok, percebi mal. :)
    Tens razão. Mas não sejas assim tão coisa logo dessa maneira de "nem sequer(...)" ^^

    ResponderExcluir
  3. seguindo a ordem de ideias, acho que preferia ser a lagarta =P
    assim podia surpreender qualquer um . heheh

    ResponderExcluir
  4. és a minha borboleta , mas continuas uma lagartinha : a surpreender . sabes disso , não sabes ?

    ResponderExcluir