quinta-feira, 30 de julho de 2009

Sem Rumo


Pego na minha mochila, pus tudo o que necessitava para sustentar-me e algum dinheiro que restava-me no pé de meia.
É de madrugada e toda a cidade dorme, enquanto eu entre lágrimas espero junto à estrada alguém que me dê boleia.
Parou um camião que dirigia-se até Espanha, eu não tinha rumo por isso entrei e segui viagem. Por volta do almoço encontrava-me em Barcelona. Desconhecia tudo aquilo e gostava dessa sensação. Caminhei pela cidade algum tempo, mas sentia-me cansada e com fome. Então abri a mochila e comi um pouco de pão que tinha sobrado ontem ao jantar, o único pedaço de pão que restava no cesto e que por esta altura ainda se mantia vazio. Quando acabei de comer, sentei-me no chão e adormeci.
Passaram-se um, dois, três, quatro e cinco dias e estava muito fraca. Só já me restavam umas moedinhas e não dava para sustentar-me muito mais. Então fiquei ali pálida, quando percebi que tinha agido como uma cobarde, uma verdadeira cobarde. Pois, senti tudo a cair-me em cima e eu inocente. Mas em vez de ter ficado no meu mundo a mostrar o que valia, fugi sem ter um rumo e agora estava numa rua de Barcelona.
Ao fim da tarde sem medo levantei-me daquele chão frio e pedi boleia. Parou o mesmo camião que me tinha trazido até ali e agora ia-me levar até casa. Quando entrei dentro do camião o senhor disse-me:
- Eu sabia que ias agir.
Eu apenas encolhi os ombros...
Cheguei a casa já era de madrugada tal como no dia que tinha partido. A cidade mantia-se silenciosa, enquanto eu pousava a mochila e preparava-me para dormir. Amanhã seria outro dia e eu desta vez ia-me comportar-me como uma valente.

Elo.

16 comentários:

  1. Agora perdi-me nos textos. :/
    Estava a falar do quê?

    ResponderExcluir
  2. mas eu levo-te na minha scooter , para te sentir pertinho de miiiiiiim , pode ser ? :')

    ResponderExcluir
  3. ah , e da próxima vez que gozares com a minha scooter , dou-te uma palmada no rabo 8D


    xD

    ResponderExcluir
  4. se dizes mentiras , dou-te palmada na mesma (a)

    ResponderExcluir
  5. eu nao te quero bater , quero é qe sejas uma boa menina (a)

    ResponderExcluir
  6. Correrá como tiver de correr :(
    e lamento que a ti nao tinha corrido bem :(

    Gostei deste texto ^^
    Beijinho *

    ResponderExcluir
  7. é assim que devemos sempre ser, valentes (:

    chego à conclusão de que se os homens e as mulheres não fossem tão complexos então isto não teria tanta piada.
    um beijinho :*

    ResponderExcluir
  8. Às vezes fugir não é a melhor solução. Mas bem que dá (tanta) vontade... Não podemos ser cobardes, temos que enfrentar a vida olhos nos olhos!
    Força :)

    ResponderExcluir
  9. Realmente o problemas não desaparecem se fecharmos os olhos e fugir-mos deles... Mas sempre aparece a coragem que precisamos.

    :)

    Beijo =*

    ResponderExcluir
  10. as pernas não servem para fugir. servem para andar e remar contra a maré.

    abraço *

    ResponderExcluir
  11. Fugir não é a solução que esperamos; é adiar o problema, é continuar a enrolar.
    Não é mais simples começar por resolver?

    Lindo texto *

    ResponderExcluir
  12. Ya, por vezes mais vale cedo que é para não estar a esperar... :D

    ResponderExcluir
  13. às vezes fugimos para que possamos voltar... $

    ResponderExcluir
  14. texto lindo !
    ha que ter força pa encarar os problemas !

    ResponderExcluir