quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Frontalidade



Bato à tua porta e convidas-me para entrar.
Entro pela tua casa como se ela já me fosse familiar. Pois, outrora tinha passado grande parte dos meus dias ali. Sentámos-se frente a frente e pedi como prato principal sinceridade. Eu falei, tu ouviste-me e tu falas-te e eu ouvi-te, percebi que apesar de tudo ainda sabíamos respeitar-nos. Provei-te que o meu coração ainda era teu, que os últimos nove anos eram nossos e acima de tudo que continuavas a ser a minha irmã. Nada mudou, nada!
Por fim, na sobremesa perguntei-te se querias um ponto ou um parágrafo, tu indicaste-me a segunda opção. Apenas tive vontade de te abraçar e beijar como à muito tempo não o fazia, acabei por faze-lo... Enrolaste-te nos meus braços e senti o teu coração.
Fico surpreendida como é que consegui esconder as lágrimas que ultimamente chorava por ti, fui forte então.
Por ti desta vez deixei o orgulho de parte, por ti sempre vivi, por ti orgulho-me.
De sempre para sempre irmã.
Um sorriso preencheu-me os lábios quando virei-te as costas, sabia que era apenas "um volto já".

Elo.

3 comentários:

  1. Fiquei fascinada com este texto:)

    Jantar e sobremesa; Sendo o prato principal a frontalidade é meuo caminho andado para reatar os melhores sentimentos que a amizade nos faz sentir ****

    ResponderExcluir
  2. Amizadeeee ! :DD
    ...
    compensa tudo ^^

    ResponderExcluir