terça-feira, 4 de agosto de 2009

Peço apenas Paz



Procuro na noite fria algo que me aconchegue, algo que me ilumine.
Vou desvendando cada rua da cidade e pergunto-me se alguém já saiu assim como eu o fiz ou se sou a única. Pois, a verdade é que não vejo ninguém na rua.
Penso o quão me sabe bem dar passo lento sem ter pressa e destino. Apenas dar passo lento e sentir o vento a bater na cara.
Pergunto-me como é que estou enjoada de quase tudo, talvez seja a falta de paciência que esteja a afectar-me os neurónios.
Quando por aquelas ruas andava reparei no céu, vi o quão as estrelas brilhavam. Pedi a uma delas que me dê-se paz. Continuei por ali de passo lento desejando que a estrela me tivesse ouvido.
Por fim dei por mim a passar vezes sem conta pelas mesmas ruas e foi assim toda a noite...

Elo.

10 comentários:

  1. ya. Ainda bem que inventei o texto. Não me apetecia nada ter de viver aquilo.

    ResponderExcluir
  2. As estrelas sempre ouvem e actuam no momento correcto nós é que nunca temos a noção de certo ...

    ResponderExcluir
  3. Procuras alguma coisa para te preencher um vazio. Correcto? $

    Aquela frase é verdade, ou não. Porque, quando acabamos alguma coisa, ou namoro ou seja o que for, acabamos, mas não é para sempre, aliás, penso que só criamos é mais amor. Despejamos o velho e criamos um novo. :)

    Não é parte verdade ou lógico? :$ :P

    ResponderExcluir
  4. Já o perdi, pelo menos, por enquanto...

    Grande rotina...

    ResponderExcluir
  5. Por vezes esses momentos a sós com as estrelas são do melhor que existe.

    ResponderExcluir