sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Sopro ao Vento


Vagueio por esta vida fora, sentindo o bater do vento na cara. Tudo paira no ar.
Certa vez soprei ao vento como quem não quer a coisa, apenas queria brincar com ele durante algum tempo. Mas esqueci-me que ele tinha mais força e então levei com tudo na cara, tudo o que tinha soprado dentro de mim, tinha agora o vento soprado de novo para mim.
Voltei a viver tudo de novo, foi bom. Pelo menos aprendi que não é por um sopro ao vento que ele leva as coisas, mas sim o sopro que ele traz-me todos os dias. Pois, um dia ele levará tudo o que algum dia soprou sem que eu me aperceba e trará novos sopros.

Elo.

3 comentários:

  1. está óptimo mesmo, adoreii!
    um beijinho*

    ResponderExcluir
  2. Muiito obrigada pelos parabéns *

    ResponderExcluir
  3. Não gosto do Sol.
    Não gosto da Chuva.
    Gosto do VENTO.
    Da sua força, da sua coragem.
    Já o encontrei em dias maus e em dias bons.
    Já o achei em dias de calor e em dias de tempestade. Não me farto dele. Admiro-o.

    ResponderExcluir