segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Avó Mariana

Recordo-me como os meus olhos brilhavam quando eu sentava-me ao teu colo e tu contavas-me histórias, ou quando simplesmente apetecia-me estar no teu colo e havia tantas cadeiras para me sentar. Insistiam comigo que havia cadeiras vagas, mas eu não trocava por nada o teu colo tão confortável. Recordo-me quando eu corria dias inteiros e em vez de ir para o meu sofá, era no teu que adormecia de tanto cansaço. Recordo-me dos dias frios, em que chovia tanto e eu pegava numa manta enrolava-me nela, calçava as pantufas e em 5 minutos estava em tua casa a pedir-te crepes e a ler-te as legendas dos filmes. Recordo-me também dos dias quentes que obrigava-te a estar ali ao calor a ver-me a dar mergulhos na piscina. Recordo-me da minha infância, recordo-me de como eu gostava de estar contigo, recordo-me com imensa saudade.
Hoje cresci, hoje passo dias e dias sem te ver. Dou um saltinho sempre que posso até à tua casa que com o tempo tornou-se minha. Mas assim que há sinal de férias continuo a ser a mesma criança contigo que era. Continuo a sentar-me no teu colo apesar de ter à minha frente tantas cadeiras, continuo a admirar-te, continuo a desafiar-te. Avó contigo cresci, contigo chorei, contigo sorri, contigo dei por mim a chamar-te mãe, contigo irei ter sempre a "mão dada". Avó, quero voar contigo.

Elo.

4 comentários: