segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Até já, mas não esperes


Dói-me a cabeça. Dói-me a cabeça de tal forma que parece que vai explodir!
Hoje não me apetece preocupar-me contigo, não me apetece falar contigo, hoje não quero lutar por ti sequer. Hoje apenas apetece-me um passeio com os cabelos ao comando do vento, sem o telemóvel no bolso, sem ter ninguém a controlar-me ou preocupado comigo. Quero chegar ao nascer do sol, ver a minha mãe levantar-se e não me dirigir a palavra, após disso deitar a cabeça na almofada e adormecer nesse instante. Mas acima de tudo, quando acordar quero que a dor de cabeça já tenha passado, quero evitar respostas a perguntas sobre o dia anterior, quero ouvir só a minha voz, quero principalmente acordar e já não me recordar de ti, já não te amar.
A hora de travar já chegou (e à muito tempo) e se tu não travas, travo eu. Pois bem, não vou tornar por hábito esta má disposição comigo própria e com os outros, só porque tu não sabes a vida que levas e a vida que queres levar. Adeus, vou só ali ser feliz e já venho.

Elo.

16 comentários:

  1. O que queremos nem sempre segue o caminho mais fácil, mas podemos lutar para que isso aconteça.

    ResponderExcluir
  2. Todos temos dias assim, eu percebo acredita (:

    ResponderExcluir
  3. Acredita que sim, a sério (:
    Respira fundo e toma um tempo para ti, mereces para "curares" essa má disposição ^^

    ResponderExcluir
  4. eu também já sofri muito, porque também eu já me iludi e muito. apesar de desde pequena me sentir "deslocada" e enfim, sozinha, havia momentos em que sentia que tinha pessoas do meu lado. e gastei muitas lágrimas quando percebi que não passava de ilusões.

    ResponderExcluir
  5. acabo sempre desiludida, é o que sei.

    ResponderExcluir
  6. Já falei como amei esse blog? então.

    ResponderExcluir
  7. e não, tu é que és simpática :)

    ResponderExcluir